Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


Agricultores reflorestam reserva legal de assentamento na Paraíba


Publicado dia 16/06/2017

30 assentados participaram do plantio de 200 mudas de 15 espécies de árvores - Fotos: Kalyandra Vaz - Incra/PB

Agricultores do assentamento Cícero Romana I, em Esperança, município do Agreste paraibano, têm se revezado, nos últimos 30 dias, em ações de reflorestamento e cercamento dos aproximadamente 60 hectares da reserva legal da comunidade. No último dia 14, cerca de 30 assentados participaram do plantio de 200 mudas de pelo menos 15 espécies de árvores na área, que já se encontrava degradada quando o assentamento foi criado, em 2005, e que vinha sendo utilizada como área de pasto por agricultores vizinhos após o início da grande seca que atinge a região, há pelo menos cinco anos. 

A atividade foi acompanhada por técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater/PB) e da Associação dos Pequenos Produtores de Timbaúba e Araras (APPTA), que forneceu as 200 mudas plantadas na ocasião.

De acordo com a presidente da associação dos moradores do assentamento, Jandira Pereira da Silva, já  foram plantadas 500 mudas, todas oriundas de doações. “Uma vez por semana, geralmente às segundas-feiras pela manhã, um grupo de pelo menos 20 assentados trabalha no plantio das mudas e na construção de uma cerca para impedir a entrada de gado na área da reserva”, disse.

A ideia é recuperar e proteger a reserva legal do assentamento, com conscientização ecológica de assentados e vizinhos, transformando o local - onde atualmente predominam espécies rasteiras -, em uma área capaz de abrigar a diversidade de fauna e da flora características da região, com predomínio de mata úmida de altitude e a mata subcaducifólia – vegetação também conhecida como “mata seca”, segundo a Agência Embrapa de Informação Tecnológica (Ageitec).

A recuperação ambiental do local foi iniciada com a realização de palestras sobre a importância das áreas de reserva legal promovidas pela Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (AS-PTA), que doou as primeiras 300 mudas de árvores à comunidade. 

Entre as espécies que estão sendo plantadas na área de reserva legal do assentamento Cícero Romana I estão: ipê amarelo, ipê rosa, barriguda, cedro, cajueiro, pinho, nim, leucena, cumaru, ubiratã, chichá, aroeira, sabiá, mulungu e algaroba.

Dona Jandira explicou que o cercamento do perímetro da reserva legal está sendo realizado com o aproveitamento de troncos secos e com arame farpado comprado pelos próprios assentados. Em algumas partes, os agricultores optaram por utilizar cercas vivas com o plantio de mudas de mulungu e de algaroba. “Já cercamos 50 por cento da reserva”, disse.


Engajamento

O trabalho de recuperação da reserva legal do assentamento foi bem recebido por agricultores assentados na área e pelos pequenos proprietários de imóveis rurais vizinhos. Cada vizinho foi convidado a assinar um termo de compromisso assumindo a responsabilidade de exercer o papel de “guardião” da reserva do assentamento, contribuindo inclusive na manutenção do cercamento da área e nas ações de reflorestamento.  

Para o assentado Petrônio Diniz, de 63 anos de idade, a ação do homem também contribui para a seca e para o empobrecimento do solo. “O que estamos passando não é culpa de Deus. É do desmatamento e da falta de cuidado com a natureza”, afirmou, acrescentando que os assentados precisam cuidar bem de sua maior conquista, a terra para produzir. “Minha família sempre foi humilde, nunca teve nada na vida. Mas, depois de assentados, nossa vida mudou 90 por cento. Hoje, eu consegui dar uma situação melhor à minha família. A gente se alimenta muito melhor. Antes, o lucro ia todo para o patrão”, concluiu o agricultor familiar.  

Os jovens da comunidade também estão se mobilizando para recuperar a vegetação do assentamento, como é o caso de Marcelo Henrique Nunes, de 18 anos, e Pedro Flor, 21 anos, que estão cercando as margens do rio que corta Cícero Romana I e estão se preparando para iniciar o plantio de espécies frutíferas no local.

Pronaf e produção de mudas

O gerente do Escritório da Emater/PB de Esperança, o extensionista rural Gilvan Salviano de Araújo, que esteve presente na atividade do dia 14 de junho, afirmou que o órgão vai iniciar, em breve, visitas a todas as famílias do Assentamento Cícero Romana I para elaborar projetos para o acesso aos recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os projetos, segundo Araújo, deverão ser voltados prioritariamente para o atendimento das necessidades básicas de infraestrutura hídrica dos agricultores, como a construção de barreiros e de cisternas, além da aquisição de motores, de forma a dotar as famílias de condições de produção, mesmo em épocas de estiagem. “Queremos criar condições e dotar o assentamento de infraestrutura para que os assentados possam produzir hortaliças e criar aves e suínos, por exemplo, para fornecer para o PAA [Programa de Aquisição de Alimentos] da Conab [Companhia Nacional de Abastecimento]”, disse.

A Emater/PB se comprometeu ainda a elaborar um projeto para o treinamento de agricultores do assentamento para a produção e a construção de um viveiro de mudas com o apoio da APPTA.

Araújo afirmou que é preciso investir em atividades que permitam ao agricultor familiar produzir sem depender das chuvas, garantindo renda nos períodos de seca.

Assentamento

O Assentamento Cícero Romana I, localizado a cerca de 150 quilômetros da capital João Pessoa, possui área de aproximadamente 300 hectares, onde 54 famílias vivem e produzem principalmente feijão, milho, batata doce, batata inglesa, fava, mandioca/macaxeira e hortaliças, além de frutas, como limão e laranja.

A produção excedente é vendida principalmente em uma feira agroecológica, realizada às sextas-feiras pela manhã, em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Esperança.

Reserva Legal

Reserva legal é a área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, que não seja a de preservação permanente, necessária ao uso sustentável dos recursos naturais, à conservação e reabilitação dos processos ecológicos, à conservação da biodiversidade e ao abrigo e proteção de fauna e flora nativas. 

Ela varia de acordo com o bioma e o tamanho da propriedade e pode ser de 80 por cento da propriedade rural localizada na Amazônia Legal, 35 porcento para áreas no bioma Cerrado dentro dos estados que compõem a Amazônia Legal, e de 20 porcento dos imóveis rurais nas demais regiões do país.

Assessoria de Comunicação Social do Incra/PB
(83) 3049-9259
www.incra.gov.br/pb

 

Ir para o Topo