Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


GO: Titulação motiva famílias a permanecer e reforçar produção em assentamento


Publicado dia 24/01/2019
 
Foi com o título de domínio da terra em mãos e um sorriso no rosto que a família da assentada Idelcina Oliveira Goveia deixou, na tarde desta quarta-feira (23), a Superintendência Regional do Incra em Goiás. Ela fez parte de um grupo de 15 famílias do assentamento Bauzinho, localizado em Santa Helena, Sudoeste do estado, que receberam o documento que transfere o imóvel rural em caráter definitivo ao assentado.
 
O superintendente do Incra/GO, Eurípedes Malaquias de Souza, agradeceu a confiança dos assentados no trabalho que vem sendo realizado pelo Incra e frisou que “a autarquia não faz nenhum ‘favor’ ao titular que está na terra em situação regular e nela almeja permanecer”. Gilson Filho, superintendente substituto, também participou da abertura da atividade e parabenizou os colegas do Incra pelo esforço e dedicação com que trabalharam em 2018 para que fosse possível a titulação em áreas de reforma agrária.
 
O chefe da Divisão de Desenvolvimento do Incra em Goiás, Elvis Richard Goularte, explicou que as famílias contempladas com o título de domínio pagarão pela terra. “Existem duas opções. Uma delas é o pagamento à vista, com desconto de 20% sobre o valor total da dívida. A outra é escolher pelo parcelamento em 17 vezes, com carência de três anos para iniciar o pagamento. Neste caso, não se recebe o benefício do desconto dos 20%”, detalhou.
 
Famílias unidas
 
Idelcina e a filha Mirielli Oliveira Martins, moradoras de parcelas distintas, já decidiram que vão pagar à vista. “A gente esperou muito para ter a segurança do direito definitivo à terra e vamos resolver isso logo”, disse Mirielli. Hoje com 29 anos, a filha de Idelcina chegou ao assentamento ainda criança, aos sete de idade, e exatamente há quatro conseguiu ser assentada no lote 01, que se chamava Dois Irmãos. “É uma feliz coincidência. Sou mãe de duas crianças, Mariana e Gustavo, os dois irmãos para quem deixarei essa terra”, disse.
 
Mãe e filha, juntamente com seus maridos, desenvolvem atividades semelhantes. Obtêm a principal renda familiar com a venda do leite e o plantio de milho e soja, para fabricar ração para o rebanho. “Minha mãe consegue tirar R$ 3 mil com o leite. Eu consigo menos, em torno de R$ 2 mil. Daí, complementamos vendendo na cidade queijo, requeijão, doce de leite e outras coisas, como galinha caipira e ovos. Aqui não nos falta nada, nem comida ou tranquilidade”, afirma.
 
O casal Aurino Martiniano Oliveira e Marineide Maria Fernandes de Oliveira mora com os filhos no assentamento Bauzinho desde a sua criação, em 1998, e também está contente com a nova condição. "Isso é uma bênção de Deus! Quando a gente ia pedir financiamento para o banco, a gerente sempre negava porque eu não tinha o título definitivo. Ou tinha que ter o título ou quatro avalistas. Agora, com o título nas mãos, vai ser bom demais para a gente negociar ", alegrou-se o assentado.
 

Assessoria de Comunicação Social do Incra/GO
(62) 3269-1703
www.incra.gov.br/go

 

Ir para o Topo