Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


Superintendente do Incra-RS se reúne com movimento social


Publicado dia 20/01/2017

 

O superintendente do Incra no RS, André Bessow, realizou, na tarde de sexta-feira (20), seu primeiro encontro com representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Porto Alegre (RS). Na ocasião, foram apresentadas a metodologia de trabalho do novo dirigente – que tomou posse no último dia 11 –, e expostas algumas das principais pautas de assentados e acampados para 2017.

Bessow destacou a abertura à interação e a continuidade de projetos em andamento. “Minha linha de atuação é de diálogo e conversa permanente para avançarmos na reforma agrária. Os movimentos sociais seguirão tendo seu espaço garantido para trabalharmos em conjunto”, avaliou o novo superintendente.

Ele ressaltou, também, o empenho da superintendência para sanear as irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que bloqueou em torno de 4,7 mil assentados no RS por indícios de irregularidades. “Estamos bem adiantados na análise de cada caso, visando a possibilidade de desbloqueio das famílias no Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária (Sipra)”, informou Bessow.

No RS, o Incra adotou um Plano de Providências Regional para agilizar a apuração de cada caso. Desde o final de dezembro, os beneficiários bloqueados pelo TCU estão sendo notificados com apoio das equipes de assistência técnica contratadas pelo Instituto, as quais também coletam os documentos comprobatórios de cada situação – 1.048 beneficiários já foram comunicados. A partir da próxima semana, os processos começam a ser analisados pelo grupo de trabalho formado na superintendência para tratar do assunto.

Principais pontos
Além do bloqueio de famílias pelo TCU, lideranças do movimento social elencaram outras prioridades: a manutenção do serviço de assistência técnica, liberação de crédito (como o Apoio Mulher) e atendimento das demandas do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). Observaram, ainda, a necessidade de obtenção de terras (para assentamento de famílias acampadas) e da construção de moradias em assentamentos já criados.

Um dos representantes do MST, Cedenir de Oliveira, lembrou os investimentos do Incra em agroindústrias e o fomento à agroecologia. “As cooperativas ajudam a organizar as cadeias produtivas dos assentamentos, como o arroz orgânico na região metropolitana de Porto Alegre e a Bionatur (sementes agroecológicas) na zona sul do Estado”, afirmou.

Acompanharam a reunião os chefes da divisão de Obtenção de Terras e de Desenvolvimento do Incra-RS, André Guidotti e Clodoir da Silva, e o coordenador de Assistência Técnica, Nelson Araújo. Também participaram integrantes da Cooperativa Central dos Assentamentos de Reforma Agrária do RS (Coceargs) e representantes das mulheres e de assentamentos de diversas regiões do Estado.

 

Assessoria de Comunicação Social do Incra/RS
(51) 3284-3309 / 3311
imprensa@poa.incra.gov.br
www.incra.gov.br

Ir para o Topo